Eventuais riscos: Moradores serão alertados com sirenes instaladas abaixo da Usina Hidrelétrica de Lajeado

Está sendo instalado abaixo da Usina Hidrelétrica de Lajeado, na região central do Tocantins, um sistema de alerta com sirenes. De acordo com a empresa que administra a UHE, a Investco, os primeiros testes serão realizados ainda em setembro.

Divulgação

Serão dez torres de alerta sonoros instaladas em uma extensão de dez quilômetros no sentido da correnteza do rio. Os equipamentos servidão para alertar a população da região sobre eventuais riscos relacionados ao funcionamento da usina.

A instalação do sistema começou em agosto e deve custar R$ 2,5 milhões. O projeto conta com participação da Defesa Civil Estadual e dos municípios que são impactados pela hidrelétrica.

Segundo a Investco, o sistema vai promover mais tranquilidade e segurança à comunidade local, evitando a propagação de fake news envolvendo rompimento da barragem. Em 2019, por exemplo, um boato se espalhou em Tocantínia e os moradores evacuaram a cidade no meio da noite.

Além das sirenes, o sistema de alerta prevê a demarcação de pontos de encontro e rotas de fuga. A empresa afirmou que exercícios de simulação também devem ser programados na região pela Defesa Civil.

Como vai funcionar

A administração da UHE de Lajeado informou que as sirenes são capazes de operar nas condições ambientais mais adversas. Elas poderão produzir um alerta sonoro com intensidade de 70 decibéis.

Os equipamentos podem ser acionados no local ou remotamente, na sala de comando da Usina ou do Centro de Operações da Geração da EDP. O sistema funciona por sinal de rádio e satélite. Também estará integrado com a Defesa Civil, possibilitando o envio de informações em tempo real.

Boletim desta quinta (23) confirma mais 13 mortes e 583 novos casos de Covid-19 no Tocantins

Atualmente, o Tocantins contabiliza 197.508 pessoas notificadas com a Covid-19 e acumula 64.787 casos confirmados.

Divulgação

Nesta quarta-feira (23/9) o Tocantins contabilizou 583 novos casos confirmados da Covid-19, sendo 165 das últimas 24h. O restante é de exames coletados em dias anteriores e que tiveram seus resultados liberados na data de ontem.

Dos 583 novos casos 171 foram detectados por RT-PCR, 88 com sorologia e 324 através testes rápidos.

Atualmente, o Tocantins contabiliza 197.508 pessoas notificadas com a Covid-19 e acumula 64.787 casos confirmados. Destes, 47.700 pacientes estão recuperados, 16.197 pacientes seguem em isolamento domiciliar ou hospitalar e 890 pacientes foram a óbito.

Confira na imagem abaixo o detalhamento de novos casos por cidade:

Divulgação

Caixa paga nova parcela do auxílio emergencial a 5,6 milhões de pessoas

A Caixa Econômica Federal (CEF) paga nesta quarta-feira (23) mais uma parcela do Auxílio Emergencial a 5,6 milhões de trabalhadores.

Neste grupo, estão 1,6 milhão de trabalhadores que fazem parte do Bolsa Família, cujo número do NIS é terminado em 5. Também fazem parte 4 milhões de trabalhadores, que fazem parte do Cadastro Único e aqueles inscritos por meio de aplicativo, site ou pelos Correios, aniversariantes em agosto.

Para o público do Bolsa Família, a parcela paga já é a primeira referente ao Auxílio Emergencial Residual, de R$ 300. Os pagamentos para esse grupo são feitos da mesma forma que o Bolsa.

Para os demais, seguem os pagamentos de R$ 600, e a ajuda será creditada em conta poupança social digital da Caixa, que poderá ser usada inicialmente para pagamento de contas e compras por meio do cartão virtual. Saques e transferências para quem receber o crédito nesta sexta serão liberados a partir de 13 de outubro (veja nos calendários mais abaixo).

VEJA QUEM RECEBE NESTA SEXTA-FEIRA:

  • 1,6 milhão de trabalhadores do Bolsa Família aprovados no programa, cujo número do NIS termina em 5
  • 4 milhões de trabalhadores do Cadastro Único e inscritos via site e app, nascidos em agosto, recebem a próxima parcela:
    – aprovados no primeiro lote recebem a quinta parcela;
    – aprovados no segundo lote recebem a quarta parcela;
    – aprovados no terceiro e quarto lotes recebem a terceira;
    – aprovados no quinto e sexto lotes recebem a segunda;
    – aprovados no sétimo lote recebem a primeira parcela;
    – aprovados no primeiro lote, mas que tiveram o benefício suspenso, recebem a quinta parcela;
    – aprovados em outros lotes, que receberam a primeira parcela em meses anteriores mas tiveram o pagamento reavaliado em agosto, recebem todas as parcelas restantes, até a quinta.

Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial ou pelo site auxilio.caixa.gov.br.

TSE atualiza aplicativo Pardal, que recebe denúncias sobre eleições

Com a atualização do aplicativo, além da foto da denúncia, o usuário deverá enviar um relatório demonstrando qual a irregularidade a ser apurada.

Divulgação

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) atualizou o aplicativo Pardal, criado para receber denúncias de irregularidades em campanhas eleitorais. O aplicativo existe desde 2014, vem sendo atualizado ao longo do tempo e agora possibilita um detalhamento maior da denúncia apresentada.

A ideia é facilitar o trabalho de apuração por parte dos tribunais regionais eleitorais (TREs) e do Ministério Público Eleitoral, que podem contar com os cidadãos para atuar como fiscais e ajudar a combater a corrupção no processo eleitoral.

Com a atualização do aplicativo, além da foto da denúncia, o usuário deverá enviar um relatório demonstrando qual a irregularidade a ser apurada. Quando as denúncias tratarem de outro tema que não seja a propaganda eleitoral, o aplicativo vai oferecer o contato da ouvidoria do Ministério Público de cada localidade. O aplicativo vai disponibilizar um link específico para que as denúncias sejam enviadas ao Ministério Público Eleitoral de cada unidade da Federação.

“Havia uma enorme gama de denúncias que não conseguiam ser apuradas a contento para reunir provas e elementos materiais, como testemunhas, fotos, vídeos e tudo o que pode comprovar a irregularidade”, explicou Sandro Vieira, juiz auxiliar da presidência do TSE.

Câmara dos Deputados aprova novo Código de Trânsito Brasileiro com emendas feitas pelo Senado

O texto já havia sido aprovado em junho passado na Casa, mas sofreu algumas alterações no Senado Federal. Os deputados, contudo, mantiveram oito das 12 emendas.

Divulgação

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou, nesta terça-feira (22/9), o Projeto de Lei 3267/19, que reformula o Código de Trânsito Brasileiro, com a maior parte da alterações feitas pelos senadores. Agora, o texto segue para sanção presidencial.

O texto já havia sido aprovado em junho passado na Casa, mas sofreu algumas alterações no Senado Federal. Os deputados, contudo, mantiveram oito das 12 emendas.

Uma das mudanças torna infração grave punida com multa o ato de transportar ou manter embalagem não lacrada de bebida alcoólica no veículo em movimento, exceto no porta-malas ou no bagageiro.

Quanto ao uso da cadeirinha, o Senado propôs que o equipamento, que pode ser um assento de elevação (booster) ou uma cadeira especial presa ao assento, deverá ser adequado ao peso e à altura da criança.

Encaminhada pelo governo em junho de 2019, a proposta era uma das promessas de campanha do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante as eleições de 2018. Mas o texto-base sofreu resistência e foi alterado.

Golpes contra pessoas idosas aumentam durante pandemia; veja o que fazer para evitar golpistas

Dados do Governo Federal apontam que desde o anúncio do distanciamento social devido a pandemia de coronavírus, houve considerável aumento de violências praticadas contra idosos no Brasil. Golpistas sempre agiram contra idosos e pessoas mais vulneráveis, mas, aproveitam-se deste momento de fragilidade emocional maior para vitimar pessoas idosas.

Divulgação

De acordo com o membro da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), doutor em Demografia pela Universidade Federal de Minas Gerais, professor e pesquisador na área de envelhecimento e pessoas idosas, Rodrigo Arantes, além dos golpes via telefone e redes sociais, os criminosos por muitas vezes induzem as pessoas idosas a abrirem as portas de casa para falsos agentes de saúde que podem roubá-los, fazerem assinar procurações, e até violenta-los.

“Aproveitando-se deste momento de menor contato social das pessoas idosas (por ficarem mais em casa em razão de pertencerem ao grupo de risco), golpistas têm praticado golpes telefonando e exigindo quantias de dinheiro por falso sequestro de um parente, por exemplo. Os idosos são um grupo populacional em que a incidência de depressão já é alta em tempos em que não se é exigido o distanciamento social, imagine nesta época em que menos relações sociais são exigidas pela pandemia, os idosos podem estar mais tristes por não terem alguém com quem conversar, sem poder sair, e isso pode ser um ‘prato cheio’ para os golpistas”, esclareceu o pesquisador.

Miguel Viana Costa, 70 anos, conta que por várias vezes quase foi vítima de golpes aplicados por telefone. “Eles ligam, se identificam como sendo atendentes de empresas com as quais não tenho nenhum vínculo, perguntam o nosso nome completo, a idade e depois começam a pedir informações bancárias. Moro com meus filhos e eles me orientam para não cair nesses golpes, mas penso naqueles outros idosos que não têm ajuda para lidar com isso”, disse.

A gerente da Gerência de Diversidade e Inclusão Social, a qual está ligada a pasta do idoso na Seciju, disse que esse momento de pandemia ampliou alguns problemas, como essa questão de golpes e violência contra nossos idosos, que estão em isolamento social. “Nossa Gerência está à disposição para auxiliar nas denúncias e apoiar esse grupo que por muitas vezes ficam desassistidos. Devemos cuidar de quem sempre cuidou de nós. Se perceber alguma tentativa de golpe, ligue para o Disque 100 e denuncie”, concluiu.

Dicas e cuidados para não cair em golpes

· Nunca forneça dados pessoais pelo telefone;

Caso liguem falando de sequestro de membro familiar, exigindo depósitos em dinheiro, desligue imediatamente e logo após, ligue para a pessoa da família para checar a veracidade das informações.

· Nunca abra porta para desconhecidos que dizem fazer pesquisas sobre Covid-19 ou que ofereçam qualquer ajuda;

Na dúvida, consulte alguém da família para discutir se é verdade ou não o que as pessoas estranhas estão dizendo (motivo pelo qual querem adentrar a casa).

· Não aceite a ajuda de estranhos em Terminais de Autoatendimento bancário;

Caso precise de ajuda, peça a um funcionário do banco ou retorne com outra pessoa de sua confiança no banco.

Caso perceba que está sendo vítima em um golpe, chame a polícia e faça Boletim de Ocorrência (BO).

Quando o malfeitor é alguém da família?

Dados do MMFDH mostram que cerca de 75% de violências praticadas contra pessoas idosas, tem por sujeito ativo alguém que faz parte do seio familiar. Desta forma, muitos idosos tendem a acobertar situações de violências sofridas para que aquele parente não seja indiciado. “Não devemos nos calar como redes de vizinhos, amigos ou familiares próximos a idosos e denunciar sempre a violência praticada contra pessoas idosas. Canais de denúncias: Ministério Público, Conselhos de Direitos (municipais e estadual), delegacias especializadas e CRAS/CREAs dos municípios”, explicou Rodrigo Arantes.

Tocantins registra 786 novos casos e mais 10 mortes por Covid-19 no boletim desta terça (22)

Nesta terça-feira (22/9) o Tocantins contabilizou 786 novos casos confirmados da Covid-19, sendo 197 das últimas 24h. O restante é de exames coletados em dias anteriores e que tiveram seus resultados liberados na data de ontem.

Divulgação

Dos 786 novos casos 402 foram detectados por RT-PCR, 125 com sorologia e 259 através testes rápidos.

Atualmente, o Tocantins contabiliza 195.370 pessoas notificadas com a Covid-19 e acumula 64.273 casos confirmados. Destes, 46.843 pacientes estão recuperados, 16.553 pacientes seguem em isolamento domiciliar ou hospitalar e 877 pacientes foram a óbito.

Confira na imagem abaixo o detalhamento de novos casos por cidade:

Divulgação

INSS facilita atualização de cadastro para trabalhadores que querem se aposentar; veja aqui

Com a medida, o INSS pretende reduzir a fila de 771 mil requerimentos para cumprir exigências do instituto.

Os trabalhadores que buscam se aposentar pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), mas encontram dificuldades em atualizar o Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS), terão mais facilidade para conseguir a renda previdenciária. Isso porque, neste mês, o instituto deixou de exigir a documentação original para atualizar o cadastro.

A partir de agora, será aceito cópias simples de documentos para dar andamento na análise de solicitações de benefícios. Isso facilita o cálculo e concessão da renda previdenciária, uma vez que não será necessário apresentar as cópias autenticadas.

Com a medida, o INSS pretende reduzir a fila de 771 mil requerimentos para cumprir exigências do instituto. Além disso, as pendências poderão ser resolvidas sem que haja a necessidade do segurado se deslocar até uma das agências do INSS, que começaram a reabertura gradual na última semana.

Problemas cadastrais

O segurado pode ter problemas com o cálculo ou concessão do seu benefício quando há algum erro no CNIS. Para verificar se há alguma inconsistência nas informações cadastrais, o interessado pode consultar o “Extrato de Contribuição CNIS” pelo Meu INSS, basta digitar login e senha.

Se houver algum erro, o segurado poderá fazer a retificação pelo próprio aplicativo. Para isso, será necessário enviar cópias legíveis de documentos como RG, CPF, Carteira de Trabalho, entre outras.

Antes, para fazer essa atualização, era necessário apresentar cópias originais, mas agora serão aceitas cópias simples. A dispensa vale para para requerimentos em andamento, em qualquer fase da análise de reconhecimento e manutenção de direito.

No entanto, nos processos em que há apuração de irregularidade em relação às informações nos documentos, o INSS poderá exigir os comprovantes originais para verificar a autenticidade e integridade dos documentos.

Passo a passo para atualizar o CNIS

Primeiro, acesse o portal Meu INSS e faça o login. Em seguida, escolha a opção “Agendamentos/requerimentos” e clique em “Novo requerimento”. No campo “Pesquisar”, digite a palavras “Dados” e selecione o serviço desejado.

Posteriormente, clique em “Novo requerimento” e digite no campo “Pesquisar” a palavra “Atualização”. Por fim, acompanhe o andamento pelo Meu INSS na opção “Agendamentos/requerimentos”.

Queimadas na região do Jalapão ameaçam colheita do capim dourado e fonte de renda de artesãs

A arte é a única renda de várias famílias e muitas mulheres temem que focos destruam toda a plantação.

O mês de setembro é o período em que é feita a colheita do capim dourado, matéria prima usada por artesãs que vivem em comunidades quilombolas do Jalapão, área turística do Tocantins. Mas as queimadas na região estão ameaçando o trabalho e a fonte de renda de artesãs que sustentam a família com a venda dos produtos.

As peças feitas com capim dourado são conhecidas até fora do Brasil. A arte, que é passada de geração em geração há aproximadamente 100 anos, é a única renda para várias famílias e muitas estão preocupadas.

Segundo Núbia Matos, artesã do quilombo Mumbuca, o fogo já começou a consumir parte dos campos. “Hoje é o dia 21 de setembro, onde as famílias estão no campo colhendo o capim dourado, mas estamos nos deparando com a triste situação de chegar no campo e não encontrar o capim dourado, encontrar o campo, as veredas queimadas”, disse.

Equipes de brigadistas estão no Parque Estadual do Jalapão para tentar controlar os incêndios. O trabalho é braçal.

Na região do Parque Estadual do Cantão choveu neste fim de semana, mas não foi suficiente para controlar as chamas. Equipes do Exército continuam ajudando no combate da queimada, que já dura 10 dias.

Comunidades do Jalapão tem como subsistência a coleta e confecção de artesanatos com o capim dourado — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

O Tocantins continua em alerta para as queimadas e para a Defesa Civil, a situação deve piorar ainda mais. Segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), só no mês de setembro o estado registrou 40% de todos os focos de incêndios até agora.

“Aqui no estado ainda tem aquela ideia do uso do fogo pra uma limpeza diária, o uso do fogo pra uma renovação de pastagem. E isso ocorre em setembro porque está próximo da temporada de chuva. Então por isso que acaba aumentando a quantidade de queimadas nessa época” , disse Erisvaldo Alves, que é tenente-coronel da Defesa Civil.

Entre julho e novembro é proibido usar fogo para limpeza e manejo de áreas rurais no Tocantins, mas muitas pessoas desobedecem e os focos acabam se espalhando.

O geólogo Bruno Machado Carneiro explica um dos flagrantes feitos por equipes de combate no campo. “Nós estamos numa propriedade onde o trator ele vai passando cuspindo o fogo e ele vai fazendo então, uma linha de fogo pra queimar a palhada. Isso é o manejo inadequado do solo, principalmente num momento do qual nos estamos passando agora, de estiagem, uma seca muito grande”

Em Pequizeiro, na região norte do Tocantins, uma grande queimada só foi controlada após mais de 100 propriedades serem atingidas e sofrerem os prejuízos do fogo. “É torcer pra chover, pra que deus possa abençoar, pra que o capim volte de novo”, disse o produtor rural Roberto Soares.

Incêndio destrói campos de campim dourado — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Morte de centenas de elefantes foi causada por bactéria, diz governo de Botsuana

Pontos de água estavam contaminados com uma cianobactéria produtora de neurotoxinas.

Foto de arquivo mostra elefantes no Parque Nacional de Chobe em Botsuana. — Foto: AP Photo/Charmaine Noronha

Centenas de elefantes encontrados misteriosamente mortos em Botsuana, na região do delta do rio Okavango, foram vítimas de uma cianobactéria produtora de neurotoxinas, revelou o governo nesta segunda-feira (21).

“As mortes ocorreram por envenenamento devido a uma cianobactéria que se desenvolveu em pontos de água”, disse Mmadi Reuben, veterinária do Ministério da Vida Selvagem e Parques Nacionais.

Localizado entre Zâmbia, Namíbia e África do Sul, sem litoral marítimo, Botsuana abriga cerca de 130 mil elefantes em liberdade, ou seja, um terço da população africana conhecida desses paquidermes.

Mais de 300 elefantes foram encontrados mortos desde março.

A hipótese da caça furtiva foi descartada, já que os animais foram encontrados com as presas intactas. O antraz (ou doença do carbúnculo) também foi descartado.

As mortes de paquidermes pararam no final de junho, coincidindo com o esgotamento desses pontos de água, afirmou Reuben.

Os exames de sangue confirmaram que uma cianobactéria, produtora de neurotoxinas, foi a causa desta alta mortalidade.

Esses exames foram feitos em laboratórios especializados da África do Sul, Zimbábue e Canadá. A investigação sobre a cianobactéria continua, disse o governo do país africano.