Operação nacional do Ministério da Justiça combate crimes contra idosos no Tocantins

Ao todo, 81 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães, participam da ação.

Viatura da Polícia Civil / Foto: Dennis Tavares / Governo do Tocantins

A Polícia Civil do Tocantins deflagrou nesta sexta-feira (4) a operação ‘Vetus’, que faz parte de uma operação inédita coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) e visa combater crimes de violência contra idosos nos 26 Estados e no Distrito Federal.

A operação integrada, que teve início no dia 1º de outubro (Dia Internacional do Idoso), foi planejada tendo em vista o aumento de denúncias de abuso registradas durante o período da pandemia da covid-19, pelo Disque 100, do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos.

Desde então, a Polícia Civil do Tocantins apurou 56 denúncias, que culminaram com a instauração de 10 inquéritos policiais e 06 Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCOs).

Durante este período foram realizadas 68 visitas/diligências; atendimento a 55 vítimas; implementação de uma Medida Protetiva e cumprimento de um mandado de busca e apreensão.

No Tocantins, o atendimento a vulneráveis é realizado pelas Delegacias Especializadas de Atendimento a Vulneráveis (DAV) de Palmas e Araguaína e por 11 Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher e Vulneráveis (DEAM-V).

Nas demais cidades, onde não há unidades especializadas, o atendimento é realizado nas delegacias locais e nos núcleos da Polícia Civil, além das Centrais de Atendimento da Polícia Civil que atendem 24 horas por dia.

Nesta sexta-feira (4) a Polícia Civil do Tocantins intensificou os trabalhos da ‘Vetus’ e realizará algumas visitas domiciliares. Ao todo, 81 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães, participam da ação.

TSE barra prefeito eleito com mais de 50% dos votos e determina nova eleição em 2021

Presidente da Câmara Municipal irá exercer o cargo provisoriamente.

Urna eletrônica / Foto: Agencia Globo

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) começou a analisar nesta quinta-feira candidaturas vitoriosas nas eleições deste ano que estão com algum questionamento na Justiça Eleitoral. Dos quatro casos julgados nessa data, os ministros entenderam que somente em Bom Jesus de Goiás (GO) deve ocorrer uma nova eleição.

Levantamento do GLOBO indica que em ao menos 96 municípios brasileiros ainda não está definido quem será o prefeito a partir de 2021. Nesses locais, as candidaturas estão “sub judice”, expressão que indica que determinado processo está em julgamento e aguarda decisão judicial.

No caso do município de Bom Jesus de Goiás, todos os magistrados concordaram pela inelegibilidade do prefeito eleito Adair Henrique da Silva (DEM) por condenação em órgão colegiado. Com isso, outra eleição será realizada.

“Por unanimidade, [o TSE] deu provimento ao 1º recurso para indeferir o pedido de candidatura ao cargo de prefeito e anular as eleições majoritárias do município de Bom Jesus de Goiás, determinando a realização de novas eleições a serem designadas pelo TRE [Tribunal Regional Eleitoral] para o ano de 2021, bem como a convocação do presidente da Câmara Municipal da legislatura a se iniciar para exercer o cargo provisoriamente nos termos do voto do relator”, disse o presidente do TSE, Luís Roberto Barroso.

A acusação do Ministério Público Eleitoral (MPE) argumentava que Adair estava inelegível por causa de uma condenação por improbidade administrativa. O registro de candidatura dele já tinha sido negado pelo juiz eleitoral, mas o Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO) entendeu que o prazo de oito anos de inelegibilidade determinado pela lei já tinha acabado. Assim, o TRE liberou a candidatura.

Foi essa liberação do TRE-GO que estava sendo questionada no TSE. O relator do caso, ministro Edson Fachin, já tinha dado um decisão liminar (ou seja, provisória) que impedia a diplomação de Adair antes que o processo fosse analisado.

A advogada Luciana Lóssio representou o prefeito eleito que teve 50,26% dos votos válidos. Ela falou em “dois marcos temporais” da inelegibilidade. Lóssio disse que o candidato eleito ficou inelegível a partir de uma condenação colegiada em 2009. Portanto, segundo ela, o prazo de suspensão dos direitos políticos (de 8 anos) tinha se esgotado em 2017. Ela também argumentou que, em 2012, Adair tentou concorrer na eleição, mas teve o registro de candidatura negado justamente em função da condenação de 2009.

Outros processos

No caso de Paraíba do Sul (RJ), o TSE definiu – por 5 votos a 2 – que é válida a candidatura da prefeita eleita Dayse Deborah Alexandre Neves, registrada nas urnas como Dayse Onofre (PL-RJ).

O relator do processo, ministro Fachin, votou pela inelegibilidade de Dayse. Argumentou que ela já havia sido condenada, em 2016, por doação acima do limite legal. A lei permite doar até 10% dos rendimentos brutos auferidos pelo doador no ano anterior ao pleito.

“A ilegalidade surge a partir do primeiro centavo superado”, afirmou Fachin ao proferir seu voto.

Em seguida, o ministro Alexandre de Moraes inaugurou a divergência do relator “à luz dos critérios da razoabilidade”, por causa do valor doado. Considerou que a doação superior ao limite não afetou a legitimidade do pleito. Outros quatro ministros seguiram o voto de divergência.

Já o ministro Barroso declarou que seu voto era “curioso”, pois concordava com a necessidade de trazer o caso à “razoabilidade”. No entanto, concordava também com a conclusão de Fachin pela inelegibilidade pelo “conjunto da obra da pessoa envolvida”. Assim, ficou em 5 a 2 a votação.

No caso da cidade de Itatiaia, também no Rio de Janeiro, o relator Mauro Campbell votou por negar o pedido de registro de candidatura do prefeito eleito Dudu (PSC) e determinar a realização de novas eleições. Porém, o ministro Tarcisio Vieira pediu vista e prometeu retornar com o processo na próxima quinta-feira. Portanto, o caso ficou suspenso.

No quarto e último processo analisado pelo TSE hoje, a Corte validou a candidatura da prefeita eleita na cidade de Olho D’água Grande, em Alagoas, Maria Suzanice Higino Bahé (PP). O ministro Sérgio Banhos foi o relator e negou negou recurso do candidato derrotado José Adelson de Souza (PTB) e de seu partido, o PTB.

(As informações são d’O Globo)

Esporte | Análise: São Paulo encontra sua melhor versão na temporada e chega à liderança do brasileirão

Tricolor vence, convence e mostra que jogadores sabem exatamente o que fazer em campo.

Jogadores do São Paulo reunidos antes do duelo contra o Goiás

São Paulo chegou à liderança do Campeonato Brasileiro na última quinta-feira, após vencer o Goiás, fora de casa, com imposição e com todos os jogadores entrosados, sabendo exatamente o que fazer dentro de campo.

Um São Paulo que vai mostrando a sua melhor versão na temporada. E olha que foram muitas versões em 2020…

Antes da pandemia, Fernando Diniz apostava em uma formação com pontas rápidos e um meio de campo pouco marcador. Até a paralisação por conta do coronavírus, o treinador dizia que aquele era o melhor momento do Tricolor desde que ele havia chegado ao clube.

Após a pausa, porém, tudo mudou. O São Paulo perdeu Antony e a sua velocidade no ataque. O drible que quebrava linhas não existia mais, e o sistema defensivo se mostrou muito vulnerável. Para tentar suprir a necessidade na frente, Helinho e Paulinho Boia foram testados, mas não foram bem.

Na defesa, inúmeros testes foram feitos, e nesse período o clube vivenciou duras eliminações, como no Campeonato Paulista, para o Mirassol, e na fase de grupos da Libertadores. As oscilações colocaram cada vez mais pressão sobre Fernando Diniz.

– Das vezes que a gente oscilou, a gente teve um sofrimento muito grande. Fomos pagando algo que a gente sofreu. A derrota do Mirassol foi oscilação pós-pandemia. As dores do passado fizeram o time aprender e fomos melhorando nossas relações internas – afirmou Diniz em entrevista após a vitória sobre o Goiás.

Para acabar com a má fase vivida, o treinador precisou abrir mão de algumas convicções e fortaleceu o meio de campo com Luan, um volante muito mais defensivo do que Tchê Tchê. A entrada de Gabriel Sara no meio de campo e a fase espetacular de Brenner, artilheiro da equipe no ano com 18 gols, deixaram as coisas mais fáceis.

Outra figura importante para essa nova versão são-paulina foi Luciano. O jogador envolvido em uma troca com Everton, hoje no Grêmio, parece ter mudado o espírito do elenco. Além dos gols marcados, o atacante tem vibração e eleva o ânimo dos companheiros a cada jogo que passa.

Todos esses fatores, aliados à convicção da diretoria em bancar a permanência de Fernando Diniz em meio às inúmeras manifestações de pressão, fizeram o São Paulo chegar ao dia 3 de dezembro na liderança do Brasileirão como se titulares e reservas fossem uma unidade.

Gabriel Sara, por exemplo, sabe exatamente onde Brenner vai estar dentro da área. No segundo gol contra o Goiás, o meia nem precisou levantar a cabeça para saber que seu companheiro iria estar na pequena área apenas para empurrar para o gol.

Daniel Alves, por sua vez, já sabe que quem manda ali no meio de campo é ele e quem ele pode acionar com um lançamento ou cobrar de forma mais dura uma jogada errada.

Luciano, se não fizer gol na partida, vai ajudar na marcação, vai brigar com o adversário e, de alguma forma, tentará mudar a parte anímica do time.

Na defesa, Diniz sabe que hoje pode contar com quatro zagueiros. Entre Bruno Alves, Arboleda, Diego Costa e Léo, qualquer um que entrar vai dar conta do recado. Nos últimos três jogos, todos atuaram alguma vez como titular.

Ainda resta muito Campeonato Brasileiro pela frente, mas o São Paulo chega neste momento com a certeza que o entrosamento e a união adquiridos pode levar o clube ao sétimo título da competição e acabar com um jejum de oito anos sem qualquer conquista.

O Tricolor volta a campo no domingo, às 16h, contra o Sport, no Morumbi, pela 24ª rodada.

Mais de 500 veículos e sucatas serão leiloados pela Prefeitura de Gurupi no dia 16 de dezembro; Lances serão a partir de R$ 30

Mais de 500 veículos apreendidos pela Agência Municipal de Trânsito e Transportes (AMTT) serão leiloados pela Prefeitura de Gurupi no próximo dia 16 de dezembro. O valor dos carros e motos que estão disponíveis variam de R$ 30 a R$ 2 mil.

Divulgação

Antes da venda, os veículos ficarão disponíveis para visitação no pátio da AMTT, no setor Pedroso, do dia 7 ao dia 15 de dezembro. O atendimento será sempre em horário comercial, das 8h às 12h e das 14h às 18h.

A relação de modelos e marcas, além das regras sobre despesas com impostos, taxas e serviços estão disponíveis no edital publicado no Diário oficial do município.

O leilão será realizado no Uniclube do Residencial Jardim dos Buritis e qualquer pessoa física ou jurídica poderá participar.

Segundo a Prefeitura, os veículos serão vendidos e entregues no estado e condições em que se encontram, sem qualquer garantia quanto à estrutura ou funcionamento.

3ª gasolina mais cara do Brasil está na capital do Tocantins

Petrobras reduziu preço, mas valor é imperceptível para o consumidor.

Preço da gasolina está nas alturas / Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Uma pesquisa da Agência Nacional do Petróleo (ANP) realizada em dez postos coloca o preço médio da gasolina em Palmas como o terceiro maior do Brasil, perdendo apenas para as capitais do Acre, com R$ 4,95 de média, e do Rio de Janeiro, com R$ 4,85.

A informação foi divulgada pelo Sindicato dos Revendedores de Combustíveis do Estado do Tocantins (Sindiposto-TO) nesta quinta-feira (3). Segundo o presidente da entidade, Wilber Silvano, dois fatores contribuem para o alto preço do combustível na cidade: as condições geográficas tocantinenses e cargas tributárias impostos regionalmente.

De acordo com Wilber, o valor do combustível é pautado pelo preço do barril do mercado internacional e também pela cotação cambial. Hoje, explica o presidente, temos um câmbio desfavorável em relação ao real, já que a moeda brasileira está desvalorizada em frente ao dólar, o que impacta negativamente no mercado interno.

Ainda conforme o presidente, outro fator preponderante na determinação do preço do combustível é o valor do barril de petróleo.

Estamos vendo altas e é natural que isso ocorra. Com a possibilidade de uma vacina (para a covid-19), os mercados estão se reaquecendo, o que provoca uma alta do petróleo. Com uma economia aquecida, o consumo aumenta, é a lei da procura oferta. Muita procura, os preços sobem, poucas, caem. Já em relação ao combustível no Tocantins é importante dizer que em níveis nacionais, a diferenciação se dá em dois fatores: condições geográficas e tributação. Temos a terceira gasolina mais cara entre as capitais. Mas em contrapartida, temos o diesel como um dos mais baratos do Brasil, pontua.

Ainda segundo o presidente do Sindiposto-TO, vale salientar que não é possível afirmar tendências de alta e baixa em relação aos preços. Apesar da Petrobras ter anunciado uma diminuição na gasolina, o valor é quase imperceptível para o consumidor nas bombas.

“Não há como projetar tendências. A Petrobras anunciou uma pequena baixa na gasolina, de R$ 0,03, que deve dar uns R$ 0,02 a R$ 0,01 nas bombas, o que não acaba convertendo em reajuste, mas são variações que ocorrem com constância e que provam como o mercado flutua“, finaliza.

Governo Federal inaugura terminal ferroviário de cargas da empresa Petronac no Tocantins

O espaço foi concedido à distribuidora de combustíveis Petronac.

O Ministério da Infraestrutura (MInfra) anunciou a inauguração do terminal ferroviário de cargas da empresa Petronac, localizado em Porto Nacional, região central do Tocantins. A solenidade ocorrerá nesta sexta-feira (4), às 10h.

A área pertence à Valec Engenharia S.A., mas foi concedida à distribuidora de combustíveis mediante pagamento de outorga à União. O diretor-presidente da Valec, André Kuhn, participa da solenidade. O gerente de projeto do Ministério da Infraestrutura, Alex Trevizan, representará a pasta na cerimônia.

O terminal ocupa parte do pátio que a estatal implantou próximo à Ferrovia Norte-Sul (FNS), linha férrea também construída pela Valec. O valor de outorga é de mais de R$ 10 milhões, a serem pagos até o final da concessão, que tem prazo inicial de 30 anos.

Serviço

O QUE: Inauguração do Terminal de Cargas da Petronac, no pátio intermodal implantado pela Valec, próximo à Ferrovia Norte-Sul
LOCAL: Porto Nacional/TO
DATA: Sexta-feira (04/12), às 10h
COMO ACOMPANHAR: Transmissão ao vivo pelo Canal da Valec no YouTube

Poucas chuvas, muito calor: Previsão do tempo para dezembro preocupa produtores rurais

Dezembro é considerado o mês de transição da primavera para o verão.

Divulgação

A região central do Tocantins está sem chuva há aproximadamente 12 dias. Os dias tem sido dominados pelo calor forte e as altas temperaturas sem nenhuma gota d’água para aliviar. O meteorologista Jair da Costa diz que o estado deve ter baixos volumes pluviométricos neste mês.

Sem chuva, a lavoura não desenvolve, a planta não cresce e gera prejuízos aos produtores rurais. A falta de água pode comprometer a safra.

“Muitas áreas que foram semeadas, apesar do sol estar com umidade, ainda não receberam chuva. Nestas áreas, os prejuízos ainda não foram mensurados, por isso, a cada dia aumenta. E após as chuvas vamos ver como estes lotes reagirão. Se for o caso,” terão que ser replantadas”, disse o produtor rural João Trombini.

O tempo seco, típico do verão, chama a atenção em pleno período chuvoso. Seja no campo ou na cidade, o calorão em pleno novembro e dezembro impressiona. “Eu sou de uma cidade que é bem quente também, que é o Rio de Janeiro, mas aqui está ganhando”, brinca a professora Márcia Siguara.

Apesar das queixas, há comerciantes que não se incomodam com o valor. Até porque o calorão fazem os consumidores procurarem produtos refrescantes, como açaí, sorvete e água de coco.

“Nesse período mais quente que está sendo agora, a gente vende bem”, comenta a vendedora de água de coco, Edhy Sousa.

Dezembro é considerado o mês de transição da primavera para o verão. A previsão é de chuva acima da média para os estados da região norte do país. Mas, o Tocantins deve ter baixos volumes pluviométricos.

“Daqui para a frente, até o final do mês, as previsões estão sinalizando baixa chuva, baixa intensidade e clima quente seco, com poucas nuvens”, enfatizou o meteorologista Jair da Costa.

Para o produtor rural, a notícia ainda não é boa. O momento não está favorável para o plantio. “Há perspectivas de chuva na região de Palmas, no sul, aqui em Gurupi, mas o volume de água vai ser relativamente pequeno, não o suficiente para retornar o período chuvoso, vai ser uma chuva rápida, localizada e de baixa intensidade e que não vai retomar às condições de plantio”.

Dezembro terá fenômeno astronômico que não ocorre desde a Idade Média

É a proximidade entre Júpiter e Saturno, parecendo um planeta duplo.

Foto/Divulgação – Nasa

Um fenômeno astronômico que não acontece desde a Idade Média poderá ser observado no dia 21 de dezembro, logo após o pôr do Sol: a proximidade entre Júpiter e Saturno fará com que esses dois corpos celestes pareçam um planeta duplo.

A proximidade entre os dois planetas já está ocorrendo e, entre os dias 16 e 25 de dezembro, a percepção será de que eles estarão separados por menos do que um diâmetro de lua cheia. “Na noite de maior aproximação, em 21 de dezembro, eles se parecerão com um planeta duplo, separados por apenas um quinto do diâmetro da lua cheia”, explica o astrônomo da Rice University, Patrick Hartigan.

Embora as melhores condições de visualização sejam próximas ao Equador, o fenômeno poderá ser observado em qualquer lugar da Terra, se o clima permitir. Hartigan explica que a dupla planetária aparecerá baixo no céu ocidental por cerca de uma hora após o pôr do sol todas as noites. “Para a maioria dos observadores do telescópio, cada planeta e várias de suas maiores luas estarão visíveis no mesmo campo de naquela noite”, acrescentou.

Segundo o astrônomo, alinhamentos entre esses dois planetas são bastante raros. “No entanto, esta conjunção é excepcionalmente rara por causa da maior proximidade entre eles. Você teria que voltar até um pouco antes do amanhecer de 4 de março de 1226 para observar um alinhamento mais próximo entre esses objetos visíveis no céu noturno”, complementou.

A próxima vez que esse vento ocorrerá será no dia 15 de março de 2080. Depois, só depois do ano 2400.

* Com informações da Rice University
Fonte: agenciabrasil.ebc.com.br

Covid-19: Tocantins ultrapassa 1.170 mortes e registra mais 373 casos nesta quinta-feira (3)

O estado acumula 82.651 casos confirmados. Destes, 74.525 pacientes estão recuperados, 6.953 pacientes seguem em isolamento domiciliar ou hospitalar e 1.173 pacientes foram a óbito.

Divulgação

Nesta quinta-feira (03), o Tocantins contabilizou 373 novos casos confirmados da Covid-19, sendo 95 das últimas 24h. O restante é de exames coletados em dias anteriores e que tiveram seus resultados liberados na data de ontem.

Dos 373 novos casos, 207 foram detectados por RT-PCR , 4 por sorologia e 162 por teste rápido.

Atualmente, o Tocantins contabiliza 261.911 pessoas notificadas com a Covid-19 e acumula 82.651 casos confirmados. Destes, 74.525 pacientes estão recuperados, 6.953 pacientes seguem em isolamento domiciliar ou hospitalar e 1.173 pacientes foram a óbito.

Divulgação

Ex-PM foragido há mais de um ano e suspeito de matar advogado é encontrado pela Polícia Federal de Boa Vista

Wanderson Silva é ex-PM do Pará e foi preso ainda em 2017, junto com outros dois militares. Eles são suspeitos de executar o crime. Todos foram transferidos para Palmas porque não havia vagas nos batalhões da Polícia Militar em Araguaína, onde o crime aconteceu.

Divulgação

Na manhã desta quinta-feira (03), o ex-policial militar Wanderson Silva de Souza foi recapturado pela Polícia Federal em Boa Vista, depois de 1 ano foragido da Justiça. Wanderson é suspeito de participar do assassinato do advogado Danilo Sandes em Araguaína, região norte do estado.

O advogado foi morto no final de julho de 2017 por causa de uma disputa por uma herança de R$ 7 milhões. A morte da vítima teria sido encomendada pelo farmacêutico Robson Barbosa da Costa, de 32 anos, segundo apontaram as investigações. Ele era cliente do advogado e parte em uma ação de inventário.

Wanderson Silva é ex-PM do Pará e foi preso ainda em 2017, junto com outros dois militares. Eles são suspeitos de executar o crime. Todos foram transferidos para Palmas porque não havia vagas nos batalhões da Polícia Militar em Araguaína, onde o crime aconteceu.

Em maio de 2019, Wanderson Silva conseguiu escapar sozinho da sede do 1º BPM. A polícia não informou como ele conseguiu fugir do local.

Indiciados

Em novembro de 2017, os suspeitos do assassinato foram indiciados pela Polícia Civil por homicídio triplamente qualificado. O farmacêutico Robson Barbosa é apontado como mandante. Os policiais militares Rone Marcelo e João Oliveira e o ex-PM Wanderson Silva de Souza teriam executado o crime.

Os investigadores acreditam que Robson tenha decidido matar Danilo após ele se recusar a participar de uma fraude. Danillo representava Robson na disputa por uma herança de R$ 7 milhões e não quis ajudar o farmacêutico a esconder parte do dinheiro dos outros herdeiros.

O Ministério Público Estadual concordou com a conclusão da Polícia Civil e na época pediu à Justiça que os suspeitos tivessem a prisão preventiva decretada, aquele que não tem prazo para terminar. Eles já estavam presos, mas no sistema de prisão temporária.

O caso

Os investigadores afirmam que o farmacêutico se revoltou quando o advogado não aceitou participar de um esquema para ocultar bens. Danilo Sandes era responsável por fazer o inventário para toda a família, mas após a discussão deixou de representar Robson. Ao todo, seis pessoas disputam a herança.

Danilo desapareceu na manhã do dia 25 de julho de 2017. Ele foi visto pela última vez em um supermercado. O advogado foi procurado durante quatro dias e o corpo dele foi encontrado no dia 29 às margens da TO-222, em decomposição.

O delegado responsável pela investigação na época informou que a vítima foi morta com dois disparos de arma de fogo.